brown numbers cutout decors

A matemática a seu favor: 20% ou 100%?

O aluno começa a fazer a prova do Enem ou de um disputado vestibular. Está de olho na vaga para um dos mais concorridos cursos. Abre a folha de provas e examina as questões. Sabe que há muitas pessoas preparadas ao seu redor e isso o deixa preocupado. Ao se deparar com a primeira pergunta, lê o enunciado, olha atentamente as alternativas oferecidas e, nesse momento… iremos ver quem realmente fez a lição de casa e quem não fez…

Para quem não fez, é sempre importante pensar na matemática básica, ou seja, por não ter estudado e se preparado da forma como deveria, esse estudante conta com aproximadamente 20% de chances de acertar a questão. Partindo do princípio que ele está despreparado, admitamos que ele irá “chutar” uma das alternativas e que, por isso, como são 5 respostas, tendo apenas 1 correta, a possibilidade de acerto fica reduzida a meros 20%… Precisa ter muita sorte, pois a necessária competência estará faltando nesse momento…

Caso o estudante tenha participado ativamente das aulas, feito os exercícios propostos em sala, tirado dúvidas com o professor, assistido videoaulas de apoio no Me Salva!, realizado simulados para entender a dinâmica da prova e verificar os seus conhecimentos, ou seja, para estes abençoados alunos, as chances aumentam consideravelmente.

Pense nesse aluno ou aluna que está em dia com os estudos e olha para as questões sendo capaz de resolver a maioria delas com êxito… Suas chances são muito maiores no que se refere a uma possível aprovação no vestibular. Por ter estudado e se preparado com afinco, este estudante terá 100% de certeza quanto as respostas corretas e, ainda que não consiga acertar todas, estará muito mais próximo de concluir o exame com o melhor aproveitamento possível.

A matemática, como ciência exata, precisa estar a favor do estudante e, nesse sentido, precisa ser compreendida não apenas como conteúdo que será cobrado na prova do Enem ou nos vestibulares… Seu uso e aplicação pode e deve ser feito em relação a sua preparação prévia também! Como assim? Não entendi…

A preparação para o Enem desde o 1º ano do Ensino Médio

Veja, é preciso equacionar seus estudos ao longo de todo o ensino médio visando sua aprovação ao final do ano letivo, tendo conhecimento dos conteúdos trabalhados em cada matéria e, é claro, de olho nos exames de admissão para a universidade ao final do ciclo de formação básica. Isso significa que, sem calculadora, o aluno precisa, desde que ingressa no 1º ano do Ensino Médio, adotar algumas práticas simples que irão ajudá-lo a atingir seus objetivos, a saber:

1- Estabeleça metas desafiadoras, porém atingíveis, para cada desafio que tiver ao longo de sua formação no ensino médio. Lembre-se dos ensinamentos de um dos maiores vencedores da história do esporte mundial e brasileiro, o ex-jogador de vôlei e treinador das seleções masculina e feminina dessa modalidade, Bernardinho. Em seu livro “Transformando suor em ouro”, ele nos conta que estabeleceu para a seleção brasileira de vôlei masculino que a meta era sempre terminar os campeonatos de alto nível que iriam disputar – como o Campeonato Mundial, a Liga Mundial e as Olimpíadas – entre os 4 melhores times envolvidos nas disputas. Meta essa muito ambiciosa, afinal de contas, esses torneios reúnem as melhores seleções do mundo e, ficar entre as 4 finalistas é uma dura conquista. Ele não estabeleceu que deveriam ficar sempre em 1º lugar, mas ainda assim estipulou uma meta dura que para ser atingida iria exigir muito treinamento, esforço e dedicação de todos os jogadores. O Brasil, durante o período em que Bernardinho foi seu treinador conseguiu atingir esse objetivo em cerca de 90% dos torneios disputados e, em vários deles, foi campeão!

2- Não faça somente o básico. É preciso ir além, ler mais livros do que o que foi pedido por seus professores. Fazer mais exercícios. Participar de aulas ou cursos adicionais. Não apenas “assistir” as aulas, mas se envolver, estando “ligado”, fazendo perguntas, ajudando os colegas que não entenderam direito. É corrente entre especialistas que quando alguém domina um determinado assunto, consegue explicar para outras pessoas, ensinar e, com isso, se tornar mais e mais apto em relação ao que está fazendo, nesse caso, estudando e se preparando para os vestibulares e o Enem.

3- Estipule horários e cumpra-os. Defina que irá estudar 2 ou 3 horas além do tempo que dedica as aulas e faça com que isso se torne rotina para você. Aumente gradualmente na medida em que for se aproximando mais do período em que irá fazer o Enem e os vestibulares, mesmo quando ainda for treineiro. Não exagere na dose, ou seja, deixe tempo para descansar e para seu lazer. Procure intercalar seus estudos ao longo do período que firmar para si mesmo, ou seja, depois de 30 ou, no máximo, 40 minutos estudando química, pare para descansar e relaxar a cabeça (por uns 15 a 20 minutos), antes de começar a estudar geografia ou literatura. Sempre lembrando que é bom alternar as áreas estudadas, para não começar a se confundir se estiver estudando filosofia e história, por exemplo, ou matemática e física.

4- Defina seus caminhos e métodos quanto ao estudo. Existem diferentes formas, mais ou menos eficientes, de acordo com a pessoa que está estudando e, também, em relação aos saberes que irá estudar. Matemática, por exemplo, exige que se façam exercícios para fixar e compreender os cálculos e fórmulas. Quando se estuda literatura é preciso ler, anotar, dissertar sobre temas, escolas, autores… Algumas pessoas requerem total silêncio e concentração quando estudam, com foco nas atividades, resgatando anotações de sala de aula ou lendo os pontos principais destacados do livro usado no curso. Para outros é preferível estudar em pequenos grupos, tirando dúvidas, ajudando ou sendo ajudado por algum colega… Escolha aquilo que for mais eficiente, fácil e que lhe dê mais confiança e resultados ao longo do caminho que trilhou nas salas de aula. Não invente, seja você e opte por aquilo que melhor lhe convier, ainda que para outros seja diferente.

5- Procure entender os conceitos e não apenas memorizar os mesmos. Quando você faz isso, e incorpora o conhecimento, de fato, consegue fazer qualquer atividade, mesmo as mais difíceis. Nesse sentido, é sempre importante, realizar os estudos e atividades iniciando com os princípios mais básicos e elementares de cada área do conhecimento, algo que é realizado desde quando você entrou na escola e que, nos seus próprios estudos, precisa ser entendido e replicado. Uma boa forma de fazer com que os conceitos sejam entendidos é associar estes saberes ao mundo em que vivemos. Se você está estudando a Grécia Antiga, por exemplo, ao invés de memorizar nomes e conceitos, pense em como tais saberes estão presentes em seu cotidiano ou no contexto atual. A democracia, o teatro, as instituições políticas, as divisões sociais, a arquitetura e tantos outros temas ou assuntos trabalhados quando estudamos a Grécia Antiga, estão presentes no mundo de hoje e, aproximar as ideias, facilita a compreensão delas. Isso se aplica a qualquer área do conhecimento!

Voltando ao assunto de fazermos com que a matemática esteja a seu favor, apresentada no título desse artigo, o que queremos dizer é que, caso você se organize bem, criando suas metas, definindo seu estilo de estudo, ciente de que é preciso entender e não apenas memorizar, indo além do básico que é pedido nas aulas por seus professores, por exemplo, você estará estudando mais e melhor, se preparando de modo mais intenso, sem que isso seja estressante ou que o afaste de atividades que gosta e precisa manter, como praticar esportes, encontrar com os amigos, ir ao cinema, jogar videogame, andar de skate…

Quem começa antes a preparação, já atento aos desafios futuros, no 1º ano do ensino médio e atua de modo organizado, fica muito mais preparado para conseguir a tão sonhada vaga no vestibular e, dessa forma, fazer com que seu percentual de chances de acertos nas questões do Enem não seja de 20%, mas sim, de 100%. Se você já está nos 2º ou 3º anos ou, ainda, se já terminou o ensino médio e está num preparatório para exames vestibulares e Enem, contando com o apoio de especialistas como o time do Me Salva!, ainda dá tempo, o importante é se organizar, ter uma rotina de estudos, fazer muitos exercícios, assistir as aulas presenciais e os vídeos e buscar as metas estabelecidas, entre as quais, a aprovação para o curso que deseja!

Por João Luís de Almeida Machado