guy, man, reading

Como estudar para o Enem durante a Pandemia?

Demorou para termos a definição das datas do Enem, mas o Ministério da Educação definiu as provas serão aplicadas em janeiro e fevereiro de 2021, nos dias 17 e 24 de janeiro (para a prova impressa) e 31 de janeiro e 07 de fevereiro (para as provas digitais). Tudo por conta da Covid-19, que modificou completamente o cronograma da educação e, mais do que isso, fechou as escolas em todo o Brasil, ocasionando grandes dificuldades para a realização do ensino básico, o que abrange também o ensino médio e todas as demais instâncias educacionais, entre as quais o ensino superior.

No ensino médio e nos cursinhos, os estudantes de todo o país ficaram à deriva, sem saber ao certo como proceder na sua preparação para o Enem e os vestibulares no final do ano ou início de 2021. Escolas públicas ou privadas foram instadas a criar programas de formação online que permitissem a continuidade do ciclo escolar de 2020 para que, com isso, permitissem que os estudantes pudessem não apenas ter aulas, mas que viessem a fechar os anos letivos em que estão matriculados.

Essa nova formação, no entanto, não foi homogênea, ou seja, acabou sendo bastante desigual no que oferece aos alunos de acordo com as escolas e redes de ensino as quais estão vinculados. Evidentemente, as escolas públicas tiveram um prejuízo maior, decorrente da dificuldade de organização em estados e municípios e da falta de maior assistência e orientação por parte do Ministério da Educação. Outro aspecto que também contribuiu para que as escolas públicas tivessem um maior atraso nessa formação pós-pandemia, via plataformas digitais, foi a questão do acesso à internet pelos usuários, menor entre os estudantes provenientes de famílias com menor renda, situação essa piorada em função das consequências sociais e econômicas relacionadas a doença no Brasil e em todo o mundo, como o aumento da quantidade de desempregados e subempregados.

Sendo assim, no tocante aos alunos que estão finalizando o ensino médio, é preciso pensar em estratégias que os auxiliem a superar as dificuldades quanto a sua formação e preparo educacional provenientes dessa crise médica e sanitária mundial sem precedentes, ocorrida por conta do Coronavírus.

Como os estudantes podem se preparar melhor

O que é possível fazer para que a formação e preparação para o Enem e os vestibulares da virada do ano sejam mais efetivas no atual contexto da Covid-19? Vamos então elencar algumas ideias e práticas com o objetivo de ajudar o estudante nesse momento tão sensível e que, associadas as iniciativas das escolas e redes de ensino, podem ser bastante úteis. Então, vamos a elas:

  1. Tenha um plano de estudos para seguir: Nesse momento delicado é preciso manter processos e métodos, ou seja, definir uma estratégia, seguir planos de estudo bem estruturados, ser muito focado em relação a isso, ter compromisso e disciplina em relação ao que for agendado em termos de seus estudos. Contar com ferramentas de planificação, como aquelas que são oferecidas pelo Me Salva!, por exemplo, ajudam muito, pois não apenas organizam, mas permitem que os compromissos sejam, literalmente, “cobrados” por meio de avisos emitidos pela plataforma e endereçados no celular ou por e-mail aos usuários.

  2. Aprofundamento dos conteúdos fora das aulas: Não se ater apenas ao que está sendo estudado nos programas escolares, ou seja, como os períodos estão mais restritos, contando com menos aulas e horas de contato online com seus professores, é necessário buscar mais apoio. Nesse sentido, videoaulas e exercícios adicionais são uma boa maneira de aprofundar, tirar dúvidas, estudar assuntos que não foram trabalhados ainda ou, mesmo, revisar questões de anos anteriores. Novamente trazemos a recomendação de que há muito material na internet, mas fazemos um adendo de que é preciso ir atrás de quem faz o trabalho com todo o profissionalismo, atualização e resultados comprovados, como é o caso do Me Salva!, no qual há aulas ao vivo, gravadas e uma imensa quantidade de exercícios organizados por disciplinas e temas.

  3. Tirar todas as dúvidas sempre: Não entendeu ainda um determinado tópico? Busque apoio dos professores off e online, faça pequenos grupos de estudo com seus colegas, realize mais atividades e leituras, pesquise os temas em outras fontes… Sua proatividade é essencial para que venha a atingir o sucesso desejado.

  4. Estabeleça uma rotina: Estipule cargas mínimas de estudo por dia, intercaladas por momentos em que possa descansar um pouco, dando maior foco em áreas nas quais apresenta maior dificuldade.

  5. Organize seu local de estudos: Estude em locais tranquilos, distante de distrações, com o seu celular desligado ou silenciado durante esse período. Esses espaços precisam ser bem arejados e iluminados e você deve ter ao seu alcance os materiais necessários para cumprir a meta esperada para o dia e os horários que definiu para estes estudos.

  6. Pratique para a prova e desafie-se: Comece seus exercícios de apoio pelas questões mais fáceis e vá subindo o nível de dificuldade aos poucos, para com isso assegurar a compreensão dos princípios mais básicos e depois ir se desafiando com atividades mais difíceis.

  7. Fique informado: Mantenha-se atualizado lendo jornais ou revistas (online ou em papel, conforme for mais fácil para você) e escreva resenhas de alguns artigos lidos para ir se preparando para compor redações. Siga sempre as melhores orientações de seus professores da área quanto a produção textual e veja no Me Salva! mais dicas quanto a essa prática.

  8. Atenção as leituras obrigatórias dos vestibulares: Mantenha a lista de livros a serem lidos em dia, ou seja, veja o que será cobrado nos principais vestibulares que elaboram estas indicações de títulos que serão cobrados em suas provas e coloque-os como prioridade de leitura. Busque mais informações sobre eles na internet após sua leitura, faça breves resumos das tramas, tente perceber as ideias principais trabalhadas nos textos…

  9. Priorize as matérias com maior peso para o seu curso: Caso você tenha como foco estudar engenharia, por exemplo, é natural que seu foco maior seja em matemática ou física, mas é preciso não descuidar dos estudos em humanas ou linguagens. Da mesma forma que se for prestar o Enem de olho em medicina, aplique-se em biologia ou química sem deixar de lado o estudo de geografia, inglês ou de atentar para a redação… Ser aprovado ou não no vestibular ou no Enem pode ser decidido nos detalhes e, a diferença para você pode ser aquela questão de filosofia ou literatura para a qual não deu tanta atenção…

  10. Descansar também faz parte: Quando estiver cansado ou desanimado, guarde um tempo para reabastecer as energias e recalibrar seu humor e disposição. Faça atividades físicas, se alimente bem, distraia-se com aquilo que gosta de fazer, converse com os amigos, assista um filme, ouça músicas…

Esperamos que essas orientações sejam úteis e possam fazer com que você se prepare melhor para o Enem e os vestibulares. E que em 2021, você chegue na universidade que deseja, no curso que quer realizar. Bons estudos!

Por João Luís de Almeida Machado